Publicidade
Sexta, 30 Janeiro 2015 00:00

Giordano Bruno - mártir ou mala-sem-alça?

Postado por

giordano_bruno

“Matar um herege é introduzir na terra um crime inexpiável”, dizia São João Crisóstomo (séc. IV). E São Bernardo, ao saber que alguns hereges de Colônia haviam sido queimados na fogueira, exclamou que “A fé é uma obra de persuasão, não se impõe!”, e sabiamente afirmou que era absurdo fazer “falsos mártires” daquela maneira (ROPS, Daniel. “A Igreja das Catedrais e das Cruzadas”). Essas palavras são proféticas no que diz respeito a Giordano Bruno.

Depois de Galileu Galilei, Giordano Bruno é o personagem mais icônico para reforçar o mito de que a Igreja medieval era avessa ao avanço científico. Bruno, afinal, foi condenado pelo Tribunal da Inquisição como herege, sendo entregue ao poder civil e queimado na fogueira. Só há três furos nessa tese, que deixam os pseudo-sabidos com as calças na mão:

1) além desses dois nomes – Galilei e Bruno – os anticatólicos não são capazes de citar o nome de qualquer outro cientista condenado pela Inquisição;

2) Galileu Galilei não morreu na fogueira, e sim no conforto de seu palácio (já explicamos isso aqui);

3) Giordano Bruno NÃO ERA CIENTISTA e não foi condenado em função de qualquer tese científica.

Bruno nunca fez verdadeira ciência, e nem ao menos chegava a ser um proto-cientista. Muitas biografias o apresentam como “matemático”, o que é ridículo se pensarmos que, em seus estudos, ele jamais foi além dos conceitos esotéricos da “geometria sagrada”. Pior: o grande “legado” que os artigos furrecas de história creditam a Bruno é uma teoria que nem mesmo é dele: a ideia de que há um número incontável de outros mundos, cada um deles habitado.

A teoria dos incontáveis mundos habitados havia sido proposta pelo padre Nicolau de Cusa, nada menos do que 109 anos antes de Bruninho Maleta ter nascido!

“Embora o universo possa não ser infinito, no entanto, ele não pode ser concebido como finito, pois não existem limites dentro dos quais ele poderia ser confinado.” (...)

“Em vez de pensarmos que tantas estrelas e partes dos céus se encontram inabitadas, e que só esta nossa Terra está povoada de pessoas – e mesmo assim, com seres dum tipo inferior – iremos supor que todas as regiões se encontram habitadas, distinguindo-se na natureza pela sua categoria, e todas elas devendo a sua origem a Deus...”

- Nicolau de Cusa, em “De docta ignorantia” (1440)

Também já vi alguns artigos dando a Bruno os créditos pela tese que a Terra não era o centro do universo e de que as esferas celestes não estão imóveis, e sim em constante movimento. Mentira! Toma aí mais uma dose de Nicolau de Cusa na veia:

 “A forma da terra é nobre e esférica, e o seu movimento é circular, embora não seja perfeito.”

- “De docta ignorantia”

Aliás, décadas antes de Cusa, a hipótese de que a Terra girava já havia sido analisada pelo estudioso medieval Nicholas Oresme, bispo de Lisieux. E a Igreja jamais o censurou por isso.

cusa_nicolau

Agora, vejamos o que aconteceu ao padre Nicolau de Cusa, dez anos após a publicação de seu livro (De docta ignorantia). Pra variar, a Igreja marvada entrou em ação: Cusa foi eleito cardeal – sim, tornou-se um membro da mais alta corte eclesiástica. Ué...

Giordano Bruno não morreu em função de querelas científicas. Ele morreu, isso sim, por ser um mala-sem-alça e sem rodinhas. Um mega-mala, de tamanho ultra blaster super. Ninguém deveria ser condenado à morte por isso, é verdade. A punição, apesar de ser conforme o direito e a mentalidade da época, foi demasiadamente cruel, e possibilitou que a vida de um completo idiota fosse consagrada como uma lenda heroica.

Pense num cara que, após armar confusão entre os católicos, buscou refúgio em Genebra; estando lá, conseguiu ser excomungado pelos calvinistas; tendo obtido guarida na Inglaterra, arrumou barraco em Oxford e foi rejeitado pelos estudiosos do lugar; partindo então para Helmstadt (Alemanha), torrou a paciência dos luteranos até ser excomungado. Sim, acreditem: Bruno conseguiu essa proeza!

Por fim, o "heroi" foi preso pela Inquisição em Veneza, foi condenado e morto, em fevereiro de 1600.

“Mamãe, no Céu tem rodinhas?”. E morreu...

Segundo o historiador Luigi Firpo (“Il processo di Giordano Bruno”, 1949), o Tribunal da Inquisição acusou Bruno de:

  • praticar magia e adivinhação;
  • sustentar ideias heréticas sobre a Santíssima Trindade, sobre a natureza de Cristo, sobre a virgindade de Nossa Senhora e sobre a Transubstanciação;
  • acreditar em metempsicose (possibilidade da alma humana, ao reencarnar, poder migrar para animais, plantas ou minerais);
  • afirmar a existência de uma pluralidade de mundos e suas eternidades.

Observem que as divergências são quase que puramente religiosas. A exceção é a afirmação da “eternidade” dos mundos; ao defender essa tese - que nada tinha de científica, notem bem - Bruno contrariava a Revelação do Gênesis, segundo a qual o mundo foi criado em determinado momento do tempo (dogma esse, aliás, que está em perfeita sintonia com a Teoria do Big Bang). Pontuada em meio a um turbilhão de heresias, a questão da “eternidade dos mundos”, está longe de ter sido a maior motivação que levou o herege à fogueira.

Agora, vejam se não é patético: os ateus militantes, que se consideram tão amigos da racionalidade, elegeram como um de seus maiores ídolos um místico maluco, dado a visões e práticas de magia. Em seus livros “A Ceia das Cinzas” e “Causa, Princípio e Unidade” (ambos de 1584), Bruno apresenta sua crença de que todas as coisas são animadas e possuem uma alma racional – por exemplo, os astros e as pedras.

Se fosse hoje, o destino de Bruninho Maleta naturalmente teria sido bem diverso. Depois de ser enxotado por católicos, calvinistas, anglicanos e luteranos, ele certamente teria sido acolhido e aclamado por alguma comunidade de maçons ou de intelêkituaiz atelhos.

Para saber mais, acesse:

Cartoons and Fables - How Cosmos Got the Story of Bruno Wrong. Post de Tim O’Neill, escritor ateísta e historiador amador especializado em história medieval.

Enciclopédia CatólicaArtigo: Giordano Bruno. Essa obra, publicada em 1908 com aprovação eclesiástica, baseia seus textos em ricas e numerosas fontes, que podem ser verificadas ao final de cada artigo.

9654 Quinta, 06 Abril 2017 15:46

Comentários   

0 # Fernanda Viana 11-04-2017 20:35
Acho que o destino dele hoje seria o manicômio mesmo...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Vivianne Moreira 11-04-2017 04:19
Ótimo artigo, parabéns!
Esse Giordano Bruno foi um mala sem alça e maluco!
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Lucius Fox 06-04-2017 16:40
Mas não ficou claro, o tribunal de Veneza foi comandado por Católicos na execução dele?

Quando falam em Tribunal de Inquisição, sendo a Igreja Católica que criou o tal, não ficou como responsável pela morte?

Sou católico e quero entender melhor este ponto.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # José Cláudio Aguiar 06-04-2017 15:06
Duas pequenas correções:
1. o nome do autor não é Daniel Hops (HOPS, Daniel), mas Daniel-Rops.
2. o "guarita" deveria ser "guarida", não?
No mais, ótimo texto.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # A Catequista 06-04-2017 15:47
Já fizemos as correções, Obrigada!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eduardo Araújo 26-11-2015 19:38
Ricardo, Jesus "vítima de perseguição de Roma em todos os lugares por onde passou? De onde você tirou isso? Não, Roma não perseguiu Jesus em todos os lugares, justamente porque o "discurso" do Messias era essencialmente RELIGIOSO. Nele, não se abrigavam "causas" contra poderosos, escravagistas, machistas, racistas etc. Essa é a tese da chamada "teologia da libertação", na verdade um simulacro de abordagem do Evangelho que reduz a doutrina religiosa cristã a um enfoque meramente materialista, terreno, totalmente desvinculado do sobrenatural. O que vemos, porém, no relato evangélico é o oposto disso. Exemplo mais do que significativo, ressaltado pelo bispo Fulton Sheen, na sua "Vida de Cristo", é a primeira tentação do demônio, no deserto, quando o príncipe das trevas desafia Jesus a transformar pedras em pães. A resposta do Cristo responde a todas essas reduções materialistas, a essas pretensões de tomar o Messias como um revolucionário, contestador do sistema, ativista social e político: "Nem só de pão vive o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus". Esse tipo de "discurso" não preocupava políticos nem ativistas sociais, mas causava furor, sim, na ala religiosa judaica, particularmente fariseus e saduceus.
Responder | Responder com citação | Citar
-3 # Ricardo Ferraz Andrade de Campos 25-11-2015 14:56
Caros colegas, Se partirmos do princípio que Giordano Bruno foi morto por ser encrenqueiro, então: 1 - Jesus Cristo 2 - Gandhi 3 - Chico Mendes 4 - Marter Luther King 5 - Tiradentes entre outros Também terão de ter a mesma interpretação pois só é condenado à morte quem contesta o modelo vigente. Jesus foi vítima da perseguição de Roma em todos os lugares por onde passou. Seu discurso ia de encontro aos poderosos, escravagistas, machistas, racistas etc... Seria ele um mala?
Responder | Responder com citação | Citar
+5 # A Catequista 26-11-2015 18:54
Ricardo, comparar o tipo de encrenca e de contestação promovido por Jesus e por homens que lutaram por causas justas de modo heroico, como Martin Luther King, é muita forçação de barra. Chega a ser desrespeitoso comparar a causa de homens como Martin Luther King com as pentelhações e delírios do Giordano Bruno, que não passava de místico maluco. "Contestar o modelo vigente" nem sempre é uma atitude positiva e digna de elogio, especialmente quando o modelo vigente é bom, e quem está errado é o contestador. Por exemplo: nos EUA, há uma associação de pedófilos (NBMBLA) que contesta o modelo vigente, querendo fazer todos acreditarem que sexo entre adultos e crianças pode ser algo saudável e aceitável moralmente.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Sidnei 26-11-2015 22:05
Vivi, o que eu ajo que o Ricardo quis colocar é que foram os discursos de JESUS, que foram contra poderosos, escravagistas, machistas, racistas etc… e não Giordano Bruno, porém, nos evangelhos, eu nunca vi JESUS falar um ai contra a escravidão, que era uma instituição naquela época, tão comum quanto é o trabalhador assalariado nos dias de hoje. JESUS era sim, contra o pecado, do pecado que fazia que o Senhor de um escravo maltratasse este escravo até a exaustão, por isto ensinava, que um Senhor deveria ter zelo para com seu escravo, do mesmo jeito que deveria ter para com seus filhos. JESUS era contra o pecado que fazia com que o homem colocasse a mulher no mesmo patamar que um cão, e ensinava, que mesmo que haja diferença entre homens e mulheres, porém, ambos são amados por DEUS, ambos merecem respeitos e devem se respeitar mutuamente. JESUS, era contra o pecado dos racistas, sim, mas ensinava que DEUS ama a todos independente da cor da pela, e que a Salvação veio para todos. Nunca vi JESUS sublevar as pessoas a quem quer que fosse, mas sempre levou as pessoas a se reconciliarem, a se amarem como irmãos, e a temer o mesmo DEUS, que é PAI de todos e a todos nos quer bem. Nunca vi JESUS pregar uma revolução que seja, nunca vi ELE ensinando a pegar em armas para que os escravos se livrassem de seus senhores, das mulheres dos homens, e dos que eram discriminados racialmente, daqueles que os descriminava. Se há relatos de JESUS alguma vez ter feito isto, por favor, me aponte nos evangelhos, porque eu nunca li.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sandro 26-04-2015 23:37
Catequista, você pode fazer um artigo sobre o caso de Hipatia? É outro caso que inventaram pra alimentar o mito de que a religião é inimiga da ciência, especialmente a religião cristã. Este caso, se não me falha a memória, se passa por volta do século III ou IV, a Hipatia era uma espécie de proto-cientista que teria sido perseguida por membros da Igreja Primitiva que teriam se revoltado contra as descobertas dela que seriam contrárias ao cristianismo. Além disso, ainda costumam incluir nesse mito que a Igreja Primitiva também teria queimado uma grande biblioteca (que eu não lembro o nome agora). Teve até um filme hollywoodiano sobre Hipatia estrelado por Rachel Weisz que foi totalmente baseado nesse mito.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Elias 17-02-2015 19:41
Independente dele ser cientista ou não, sua morte foi errada e injustificável.
Responder | Responder com citação | Citar
+3 # Sidnei 17-02-2015 20:34
Elias, pode ter sido errado e injustificável para você, e todos os inimigos da Igreja nos dias de hoje, mas naquele época não fora. Você e todos os inimigos da Igreja gostam de cuspir na cara de nós católicos, que tal atitude foi errado, foi injustificado, foi isto, foi aquilo, mas não para para ver as razões que levaram o pessoal daquela época a tomar tal decisão, e ficam com este mimi interminável, como se o sr. Giordano Bruno foi um coitadinho que foi executado pela malvada inquisição só porque ele era cientista quando nada verdade, como demonstrou a matéria, era um mala sem alça que ameaçava tudo o que a Igreja sempre acreditou, e não era nem um pouco humilde e se achava o rei da cocada preta e que poderia enfrentar a tudo e a todos como se fosse o bambam do pedaço. Mas se deu mal, porém infelizmente o pessoal da Igreja naquela época deveria ter tido um pouco mais de paciência com esta mala sem alça, ter deixado a deriva, e talvez hoje ele não fosse aclamado um mártir da ciência, o qual de cientista não tinha nada, e suas colocações quanto a existência do universos tal como ele concebia não passaria entre o meio científico.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Geraldão o Galão 12-02-2015 04:05
Eu estou pensando bem e... não consegui chegar a conclusão, qual destes é o mais mala sem alça e sem rodinhas? Leonardo Bruno, Leonardo Boff, Hippolyte Léon Denizard Rivail ("Allan Kardec") ou Alvaro Thais (o """"inri""")?
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Larissa 11-02-2015 17:22
Comecei o ensino médio e já tive que ouvir professor falando sobre Inquisição e sobre quem morreu pela ''ciência'', não sei o que me espera, principalmente nos trabalhos e avaliações, minha escola é muito rígida quanto a notas. O catequista, parabéns pelo trabalho!Me ajudam muito em todos os posts!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # A Catequista 05-02-2015 22:52
Luis, confronte esse seu professor, como quem não quer nada. Com uma postura humilde, diga que você pesquisou bastante e não encontrou nenhuma referência à morte de Proust pela Inquisição. Peça a ele FONTES. Diga que você quer se informar melhor com base nessas fontes. ;-) Se possível, faça isso na frente da turma. Esse tipo de canalha precisa passar vexame, pra ver se toma vergonha na cara.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Luis Eduardo Osório Xavier 05-02-2015 23:00
Muito obrigado pessoal! Vou imprimir essa matéria pra dar pra ele e vou pedir a fonte de onde ele encontrou essa historia do proust. Outra coisa que ele veio questionar foi que Mendel foi de alguma forma contestado pela Igreja. Vcs sabem de algo sobre isso?
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # A Catequista 05-02-2015 23:14
Mas esse seu professor é uma metralhadora de caôs, hein? ah, ordinário! Mas vamos olhar pelo lado positivo: isso pode vir a se tornar divertido! Com Mendel, mesmo esquema Luis: peça as fontes. E na frente da turma. Na verdade, Mendel jamais sofreu qualquer censura ou crítica da Igreja por causa de suas pesquisas. Agora veja que interessante: por décadas, a União Soviética ateia rejeitou a sua teoria. Comunistas obtusos!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Sidnei 06-02-2015 08:04
Na verdade Vivi, não só a União Soviética rejeitou sua teoria, como inicialmente, a comunidade cientifica na época de Mendel, nem ligou para os estudos dele. Talvez por ele ter sido monge, um religioso católico, seria inadmissível para os cientistas da época muitos ligados aos filósofos iluministas do séculos XVIII, que viam na religião, sobre tudo, a religião católica, um atraso para a humanidade. Para muitos antirreligiosos, anticatólicos, como para os ateus de hoje em dia, eles tem que engolir a ceco de que um monge, um religioso católico, que com suas ervilhas, fez um descoberta que iria revolucionar a humanidade, o que é engraçado, é que muitas vezes eles sempre vem com a balela de que a Igreja não deve se meter em assuntos de ciência, mas no caso de Mendel, até parece que a Igreja estava obrigada a anunciar as descobertas cientificas de Mendel, horas, esta gente que descida, ou a Igreja pode falar sobre ciência ou não pode, ou só poderá quando for conivente com o que eles querem, a missão da Igreja não é de estudar ciência, mas de pregar o evangelhos, as verdades de Mendel quem tinha que ter aceitado e difundido na época, seriam os próprios cientistas mas como naquela época como nos dias de hoje o preconceito reina contra os religiosos católicos e aos católicos como nós, em geral, por isto não deram tanta bola assim para Mendel. Portanto, se há alguém que tem culpa no cartório de que os estudos de Mendel não foram reconhecidos inicialmente, não foi por causa da Igreja o qual nunca proferiu nada contra os estudos de Mendel, mas da comunidade cientifica que o ignoraram, o que bem provavelmente por ter sido um monge, um religioso católico, porque se tivesse sido um protestantes, judeu ou ateu, eles teriam sido reconhecidos na hora, e estariam fazendo a maior algazarra até hoje, como foi um humilde monge católicos, eles sempre omitem este dado, varrem para de baixo do tapete, isto quando não vem com a balela de que Mendel pouco se importava com sua vida religiosa, e que entrou em um mosteiro, não por vocação religiosa, mas porque sendo pobre, foi o meio para alavancar seus estudos e chegar a uma descoberta cientifica que iria revolucionar o mundo. É bem capaz de além de Mendel vir com a balela descrita anteriormente, que também Lamaitre, e outros grandes estudiosos que colaboraram com a ciência e forma religiosos, tiveram a mesma ideia, seguiram a vida religiosa não por vocação, mas por oportunidade de se desenvolverem nos estudos coisa que só entre os religiosos era possível, a imaginação desta gente não tem limites, será que entrevistaram pessoalmente a Mendel e todos os demais religiosos para saber se foi isto mesmo?, há alguma coisa escrita por eles mesmo que atestam isto?, ou só fica mesmo nos achismos desta gente, cuja imaginação não tem limites.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Luis Eduardo Osório 05-02-2015 10:39
"1) além desses dois nomes – Galilei e Bruno – os anticatólicos não são capazes de citar o nome de qualquer outro cientista condenado pela Inquisição;" Meu professor anti-católico de quimica, citou o caso do Proust, da lei das proporções definidas, como morto pela inquisição. Você sabe dizer se isso é verdade? Não achei nada relacionado a isso...
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo Ricardo Costa 05-02-2015 23:04
Seja humilde, mas firme. O canalha nunca mais vai te confrontar. Proust morreu na cidade dele, nada de inquisição. Ademais, quando ele morreu, já haviam passado os negros tempos da RF.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Padre Orlando Henriques 05-02-2015 14:13
Pois eu estive a ver na Enciclopédia Luso-Brasileira de Cultura, da Verbo, e encontrei três Proust’s, mas nenhum deles morto pela Inquisição. Aliás, o mais antigo dos que encontrei foi esse de que fala o Sidnei, que morreu em 1826… E eu pergunto: poderia alguém ser morto pela Inquisição nessa época, para mais em França, depois da revolução que lá houve em 1789 e do ambiente anti-clerical que lá ficou desde então? Não me parece… De facto, esse seu professor…
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Sidnei 05-02-2015 11:12
Luis, o único Proust que eu encontrei na internet via Wikipédia é este: http://pt.wikipedia.org/wiki/Joseph_Louis_Proust, e pelo que li, não há nada que diz que foi morto pela inquisição, acredito que este seu professor de se tanto anticatólico, esta afetando a cabeça dele. Só se for outro Proust, o qual desconhecemos, mas se for este, ele esta redondamente enganado.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Paulo 03-02-2015 07:06
Artigo interessante esse e os comunas apreciam muito o Giordano Bruno, aproveitando esse caso para vomitarem besteiras sobre a inquisição catohlica que matou a partir da Igreja não mais de 1000 (mil) pessoas, num mundo teocêntrico, totalmente inverso ao pagão e libertino de hoje. Esses mesmos esquerdistas nunca contam nada sobre a INQUISIÇÃO COMUNISTA que apenas no século XX matou quase 200 000 000 de pessoas e continua a matar onde se instalam, pois são instigadores do ódio entre grupos e pessoas, por pouco seriam replicas do demônio sobre forma de pessoas! VEJAM EM QUEM SE MIRAM COM SEUS PLANOS MACABROS: RECEITA DE LÊNIN PARA DOMINAR E ESCRAVIZAR UM POVO: "Usem os idiotas-uteis na linha de frente. Instigue o ódio entre as pessoas e classes. Destruam suas bases morais, a familia e a espiritualidade e façam-nos comer das migalhas que caem de nossas mesas". E por cima provocam fome artificial para fazer que falte alimentos para que a preocupação da busca diária do alimento, como sucede na Venezuela, para enfraquecer e dispersar o povo, um esquema para diminuir a incidência de protestos e enfrentamento ao governo"! Eis a estratégia dos comunistas para alienar e desesperar o povo e facilitar sua impostura!
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Augusto Paiva 03-02-2015 02:51
A propaganda é a maior arma que existe. O anticatolicismo cresceu com a propaganda que os protestante fizeram e ainda fazem, que deu azo à propaganda anticatólica furiosa dos iluministas e que persiste até hoje, como nos documentários da BBC (a emissora mais anticristã e esquerdista do mundo) sobre Galileu Galilei que o transforma num mártir e acusa a Igreja Católica nada sutilmente de representar o atraso - o que é, obviamente, uma mentira e ingratidão. Essa propaganda está nos livros didáticos e em tudo quanto é mídia, de maneira persistente, por mais que esses mitos já se desfizeram. É só para instigar o preconceito, pois tudo que é dito ao tolo ele sai repetindo, sem averiguar nada, pois certamente o discernimento lhe é falto. É hoax para pegar desavisados e incautos. Assim que se tem resumido os ''historiadores'' anistóricos de hoje.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eduardo Araújo 02-02-2015 18:22
Vivi, sabe o que tambem é cômico? Muitos desses admiradores de Bruno - ateus militantes inclusos - ressaltam nele a figura de um "livre-pensador". Mal imaginam o quão dogmático era o "corpus brunianus", em que ele tenta fazer uma salada com tópicos evangélicos e as idéias de Hermes Trismegistus. E outro problema - que esses néscios não conseguem divisar, tal o seu fanatismo antirreligioso - é que Bruno era um frade dominicano que, no entanto, não pediu dispensa dos votos clericais. Daí o caráter herético que chamou a atenção do Santo Ofício. Esta não se ocuparia dele, se tivesse sido coerente e não se apresentasse publicamente um católico, ainda mais membro do Clero. Ou seja: um frade dominicano subvertendo a Doutrina da Igreja à qual diz ser fiel e prestou votos, podendo, assim, confundir e desviar do bom caminho muitos devotos. Essa foi a preocupação do Tribunal Inquisitorial, não uma alegada defesa do heliocentrismo, que, aliás, assim como a afirmação sobre a pluralidade dos mundos e o infinito, não advinham de "livre-pensar" nem de amor à ciência, mas da possibilidade de inserir esses conceitos na sua mistureba mística. Enfim, Bruno, hoje, provavelmente seria um típico adepto de new age, desses que tentam explicar a "magia das esferas" com ovnis, pirâmides, casas astrológicas etc.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eduardo 31-01-2015 20:08
Eu transcrevi um texto do livro "Galileo Goes to Jail and Other Myths about Science and Religion" para um blog sobre o tema. http://historiaemfo.blogspot.com.br/2015/01/giordano-bruno-foi-o-primeiro-martir-da.html
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Eduardo Araújo 06-02-2015 16:04
Xará, ótimo blog o seu! Infelizmente meu computador trava para abrir comentários naquele formato (não sei por quê). Sugiro textos mostrando que tanto o modelo copernicano como o de Galileu eram EQUIVOCADOS. E no caso do italiano, acrescente-se uma esdrúxula teoria das marés e pior ainda uma explicação horrenda para a natureza dos cometas. A finalidade não é, claro, denegrir a biografia de dois grandes cientistas, mas fazer um contraponto à idolatria que os cerca por parte da turba anticatólica.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Kaline Alckmin 06-02-2015 16:22
Eduardo Por coincidência, li um artigo ontem sobre Galileu, e bem parcial por sinal. Depois fui pesquisar sobre o autor: formação em AGRONOMIA, com pós, mestrado, doutorado nessa área da ciência, ou seja, historiador só se for por hobbie, e para arrematar, um declarado esquerdista que em uma entrevista se disse ressentido por não ter conseguido matar o general ou sei lá quem que prendeu o che guevara. Encontrei o e-mail dele, e enviei uma mensagem falando dessa parcialidade de seu artigo (detonando a Igreja da idade média, e na conclusão, da atual também, rsrs), e sugeri os estudos à partir de documentos primários da Inquisição "L'Inqisizione". Ele responde: obrigado pela sugestão.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Elton 31-01-2015 08:47
O lugar ideal para o racionalista Bruno não teriam anotado: no PT, nas PJs da vida, nas Sinagogas de Satanás... Porquê? Em ambientes relativistas daria asas às suas divagações entre o mito e a realidade; viveria num mundo quimérico onde os pacientes esquizofrênicos se sentiriam à vontade! Para seus incensadores, eis aí um similar "herói": o carniceiro Che Guevara, entronizado na recente (vermelha) PJ que poderia ser alçado ao mesmo patamar pois, cada qual a seu modo, em nada se diferem no "merecido" prestigio pós morte!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 02-02-2015 17:29
DISSE TUDO, ELTON!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 30-01-2015 18:54
Muito interessante essa entrevista com o padre Stanley L. Jaki, que é doutor em Física e membro honorário da Academia Pontifícia das Ciências e de outra dezena de academias e fundações culturais, entre elas a Gesellschaft Olbers de Bremen, Alemanha e a Sociedade Helênica para Estudos Humanísticos, em Atenas: http://clamoresdoexilio.blogspot.com.br/2014/03/giordano-bruno-martir-da-ciencia.html
Responder | Responder com citação | Citar
0 # William G. 30-01-2015 17:27
Excelente! Amo esse blog! Sempre que possível, estarei divulgando! :)
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Melquiel Luiz de França Júnior 30-01-2015 16:38
Excelente.Não só pelas informações históricas como também pelo humor.
Responder | Responder com citação | Citar
-2 # Kelly 30-01-2015 14:33
Na verdade se Giordano Bruno vivesse nos dias de hoje nem os ateus lhe dariam crédito, com teorias malucas que tinha acabaria em um hospício.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Eduardo Araújo 02-02-2015 18:09
Kelly, dariam, sim, pode ter toda a certeza. Basta constatar o crédito que eles dão às "teorias" (=baboseiras inacreditáveis) do Zeitgeist, no qual se alega que o Cristianismo plagiou mitos antigos. Ocorre que os autores dessas teorias são, na sua imensa maioria, místicos (uma das mais fanáticas, Acharya S., é ... astróloga!). E ainda que não o sejam, são invariavelmente movidos por um ódio anticristão que chega a ser risível de tão patético. E já li muito ateu dando crédito a essas bobagens.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 30-01-2015 15:07
Será? Não sei... os ateus, afinal, andam dando cartaz pra tanto panaca! Peter Singer, por exemplo, defende a legalização do infanticídio de crianças deficientes. Richard Dawkins, por sua vez, disse que não via problema numa pedofiliazinha de leve, que isso não fazia mal à criança (pausa para vômito). Dawkins tb diz que é imoral dar à luz um bebê Síndrome de Down. E Chistopher Hitchens, não conformado em tentar desabonar uma das obras humanitárias mais lindas de todos os tempos (o trabalho de Madre Teresa e de suas irmãs), ainda chamou Madre Teresa de Calcutá de puta. Hospício, me parece, já é o meio intelêkitual em que esses neo-ateus estão metidos.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 30-01-2015 12:58
"'mamãe, no céu tem rodinhas?' e morreu..." vocês querem matar a gente, também, né? de rir!!!!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Padre Orlando Henriques 30-01-2015 12:12
«… foi demasiadamente cruel, e possibilitou que a vida de um completo idiota fosse consagrada como uma lenda heroica.» É interssante que foi exactamente isso que também aconteceu aos cartoonistas mortos no atentado de Paris! De desenhadores ordinários a mártires da liberdade de expressão!... TRISTEZA!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # marcos 30-01-2015 12:56
pensei exatamente a mesma coisa quando li essa parte do artigo.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Arthur Gabriel 30-01-2015 11:57
Catequista, eu admiro mto seu trab. Excelente matéria. Sou muito fã do seu trabalho no Blog. Conheço uma pessoa que te conhece pessoalmente da Rádio Catedral que é a Cíntia Bernardes (ela é como uma mãe pra mim). Eu queria muito te conhecer ou ter um contato contigo. Estou pensando em criar um blog católico só pra jovens seguindo o teu modelo. Espero respostas. Muito obrigado pelas matérias. Admiro muito o seu trabalho.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # A Catequista 30-01-2015 12:11
Oi, Arthur! Escreva para mim: Abraço!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Victor 30-01-2015 11:09
Outra coisa: interessante botar isso na conta da Igreja medieval, quando a Idade Média já havia terminado há pelo menos um século.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Cadu Sindona 30-01-2015 10:26
Pro cara ter sido enxotado de todas as comunidades cristãs é porque era um sem-noção level folclore.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Sidnei 30-01-2015 08:17
Esta história de Nicolau de Cusa eu não conhecia. Tá aí mais um exemplo de como os cientistas tratam os estudiosos em ciências que eram pertencentes a Igreja, mas que tais cientistas, sobre tudo os ditos ateus, varrem para debaixo do tapete, qualquer vestígios de que algum dia, dentro da Igreja, houveram: sacerdotes, leigos e religiosos, que foram cientistas ou deram algum contribuição a ciência, e nunca foram perseguidos pela Igreja através da inquisição. Quantos programas de TV eu já assisti sobre ciência, mas nunca foram citados, por exemplo Gregor Mendel ou o Pe. Lemaitre, ou, se foram citados, foi de uma nota diminuta, quase sem importância, isto para se vê como nós católicos e a Igreja somos tratados neste mundo, como se nada, mas nada mesmo, a Igreja fez de bom nestes 2000 anos de história. Há aqueles que irão dizer e dizem, que um dos motivos da execução de Giordano Brunos foi de : "afirmar a existência de uma pluralidade de mundos e suas eternidades.", a questão como foi levantada nesta matéria, não é crer nas pluralidades dos mundo, hipótese esta que já havia sido levantada por Nicolau e Cusa, mas o de afirmar a eternidade dos mundos, horas, todos sabemos que em se tratando de coisas como elas são, tem um inicio e um fim, poderá haver transformações, tal como a lei de Lavosier, de que no universos nada se cria nada se perde, mas tudo se transforma, mas permanecer algo, a matéria em sua forma, por toda eternidade, isto não existe, tudo que é vivo, que é matéria, em tal forma, tem um começo e tem um fim, como por exemplo este mundo em que vivemos, teve um origem, tal como ele é, tem sua origem e terá seu fim, depois se transformará em algo, no que se transformará: em pós das estrelas; em parte de um meteoro; que fará parte do Sol quando o Sol se expandir e engolir a terra e depois o Sol se retrair se transformando em uma anã branca ou como meteoro ser unido a outros corpos celestes até forma um novo planeta, mais a terra tal como conhecemos hoje, não existirá para sempre, assim como ela não foi sempre assim, portanto, Giordano Bruno não só feria a fé como também a própria ciência. Pode ser que nos dias de hoje Giordano Bruno poderia ter sido acolhido por ateus ou maçons, mas ele iria encher tanto o saco deste pessoal também, que eles o expulsariam de seus meios rapidinho, porém, o pior ficou para a Igreja, ou melhor, para os filhos da Igreja que a dirigiam naquela época que perderam a paciência com este sujeito, e mandaram para a fogueira, e hoje é aclamado como mártir, foi um verdadeiro tiro no pé (muito semelhante como aqueles idiotas terroristas islâmicos fizeram como os chargistas franceses), deveriam ter mais paciência e ignorá-lo completamente, hoje, Giordano seria mais um herege entre tantos, o qual nem mesmo aqueles que o louvam como mártir iriam lembrar dele.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Paulo 30-01-2015 10:30
Mendel até é citado, nas aulas de biologia. Mas só buscando a biografia dele podemos constatar que ele era um religioso, parece que eles não gostam de fazer referência a isso, bem como a qualquer tipo de cooperação da Igreja ao progresso da ciência. Temos que descobrir e disseminar por nós mesmos. Parabéns ao pessoal do site por esclarecer!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Augusto Paiva 03-02-2015 03:04
É como nesse site ateísta. Eles ficam doídos com Mendel e tiram sarro dele por ter sido um monge católico. http://ceticismo.net/2011/07/20/vsechno-nejlepsi-gregor/
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade