Publicidade
Quarta, 20 Setembro 2017 17:30

Comentário de leitor espírita revela o materialismo de sua crença

Postado por

Um leitor espírita publicou o seguinte comentário no nosso post "Por que nascem pessoas deficientes?":

Vish.... Meio estranho, um nasce filho de Príncipe (Inglaterra) outro ser nasce cego na África, o cara chega e me diz que são pontos de vista diferentes... Todos têm sua cruz... Sou mais a reencarnarção mesmo rs

Esse tipo de comentário é muito didático! Só reforça o que sempre dissemos aqui: o espiritismo é, essencialmente, materialista e anticristão.

No Sermão da Montanha, Jesus diz que são felizes aqueles que choram, pois serão consolados. Jesus diz que há pessoas que sofrem por causa da perseguição injusta (não por causa de nenhum carma). Mas os espíritas entendem as provações e sofrimentos desse mundo apenas como castigos, penas que as pessoas fizeram por merecer.

Espíritas são escravos do materialismo, pois entendem que quem está neste em situação material mais confortável e vantajosa carrega menos culpas. É uma inversão gritante de tudo o que Cristo ensina!

Cristãos são ensinados que o Paraíso será vivido no outro mundo, não neste, que é um "vale de lágrimas". Jesus ensina isso na Parábola do Lázaro e do Rico: o Lázaro era um mendigo faminto e doente, o rico era um sortudo (como o príncipe da Inglaterra). Quem era feliz, no final das contas? O Rico vivia um inferno nesta vida e não percebia, e acabou indo parar no inferno mesmo, enquanto o Lázaro foi para a felicidade eterna.

Da mesma forma, o fato de um menino nascer cego na África não nos diz ABSOLUTAMENTE NADA sobre ele ser um afortunado ou não aos olhos de Deus. A cegueira pode ter sido não um castigo, mas um instrumento do plano de Deus que colabora com a salvação do menino cego e de outras pessoas. Como? Não sei, tudo é mistério. Mas os espíritas não aceitam o mistério da vida e querem dominar tudo, racionalizar tudo. Como bons materialistas!

"Caminhando, viu Jesus um cego de nascença. Os seus discípulos indagaram dele: Mestre, quem pecou, este homem ou seus pais, para que nascesse cego? 3.Jesus respondeu: Nem este pecou nem seus pais, mas é necessário que nele se manifestem as obras de Deus."

Se o tal menino cego da África, no fim da vida, for premiado com o Céu eterno, que diferença faz alguns anos de dificuldades e provações?

E outra: algumas das pessoas mais infelizes e desgraçadas do mundo foram reis e rainhas. Vide a história da linda e saudosa princesa Diana de Gales.

Vale a pena você pesquisar também a história do infante Luis XVII, filho de Maria Antonieta e do rei Luis XVI. Nascer lindo, saudável e príncipe não garante que ninguém passará a vida liberto de terríveis sofrimentos.

9011 Sexta, 22 Setembro 2017 19:30

Comentários   

0 # Karolina 13-10-2017 20:13
Boa tarde. Gostaria de colocar algumas coisas importantes. A primeira é que um espírita não é o Espiritismo. Se um espírita colocar sua opinião, isso não representa a doutrina. A doutrina está nos livros, e é por eles e pelo estudo em conjunto que se conhece a fundo a verdade da doutrina.

Segundo, sobre o trecho "Mas os espíritas entendem as provações e sofrimentos desse mundo apenas como castigos, penas que as pessoas fizeram por merecer." Quem afirma isso definitivamente não conhece a doutrina espírita, pois nunca se trata as provações e sofrimentos como castigos, isso é incoerente com o Deus infinitamente justo e bom em que acreditamos.

Não há problema nenhum em rebater com argumentos a fala equivocada de uma pessoa. Mas se utilizar disso para atacar uma outra crença inteira sem o conhecimento... Falar sobre todos os espíritas pegando um pequeno exemplo... Isso é uma forma antiga de manipulação, além de ser injusto. Não há necessidade de atacarmos uns aos outros.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Gjmendez 12-10-2017 11:39
Fui espírita por um bom tempo até que pela graça de Deus pude perceber as falhas e contradições dessa falsa doutrina que aprisiona ou invés de libertar.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Samara 03-10-2017 12:47
Jesus não nasceu em meio a riquezas materiais, luxo... Explica aí, espírita!
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Rafael 25-09-2017 20:27
Outra coisa que chama a atenção é que o espírita não acredita nos Santos, que foram exímios conhecedores da doutrina de Jesus Cristo e, por isso, testemunharam as virtudes tanto naturais quanto nas sobrenaturais... em vez de recorrer a esses cristãos extraordinários, que já se encontram no Céu, diante de Nosso Senhor e Salvador, o espírita prefere chamar o "espírito da dona Neuza", ex-dona do mercadinho da esquina, que em vida pendurava de quando em vez as compras dele para pagar depois; ou então de um tal "baiano", que ele nem sabe como viveu, mas que aparece falando cheio de maneirismos pela voz de um "médium", dando conselhos muito "rastaqueras", em que não se sobressai nada da sabedoria da graça e, pelo contrário, vive lisonjeando o consulente e o mantendo no comodismo.

A diferença doutrinária e de atitude é gritante entre católicos e espíritas, entre os filhos adotivos de Nosso Senhor, e esses "socialistas espirituais" filhos de Kardec, Chico Xavier e quejandos.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Rafael 25-09-2017 20:01
O comentário do leitor espírita mostra de forma objetiva seu ódio da diferença, da hierarquia, da riqueza (dos outros) e de que Deus, Pai Onisciente, vê as coisas de uma altura que não alcançamos, com o fito da santificação e salvação de nós, Seus filhos. O espírita é sim materialista, e poderia ser considerado, com justiça, como "esquerdista da fé", por aplicar ódios típicos àquele espectro político só que à realidade espiritual...

O espírita tem idolatria do homem, da realidade presente, do cérebro do homem, do status social, da lógica e "razão", termos que eles repetem muito, mas cujo valor, como se vê nas "Obras Básicas" de Kardec, é meramente propagandístico. O que eles têm por "lógica" e "razão" é só caricatura dessas qualidades, de vez que a grandeza da razão de um São Tomás de Aquino ou de um São Boaventura são ofensivas para o espírita, geralmente tão melindroso de tudo o que destoe da média da maioria.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Lara 25-09-2017 15:34
Boa tarde!
Gostaria de parabenizar o trabalho de vocês que continua excelente e pedir encarecidamente: vocês poderiam fazer um post apenas com as fontes científicas a defesa da Igreja contra as velhas tretas de inquisição e inimiga da ciência etc? Gostaria de ter um post que eu pudesse mandar para alguns amigos ateus e agnósticos que não soasse "pregação." Deixar a verdade e os fatos falarem a voz de Cristo.
Afinal, acredito que quem de fato busca a verdade, e não a si mesmo, encontra Jesus e Sua Santa Igreja.
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # A Catequista 25-09-2017 17:57
Obrigada, Lara!
Na bibliografia do nosso livro "As grandes mentiras sobre a Igreja Católica" fornecemos diversas fontes sobre a relação Igreja e Ciência.
Quanto às Inquisições, se Deus quiser, ano que vem publicaremos um livro trazendo diversas fontes de peso.
Responder | Responder com citação | Citar
0 # Roque Antonio 24-09-2017 07:33
Paz e bem , salve Maria.! A palavra nos ensina que tão logo morremos , seremos julgado.{ Hebreus 9-27 } , se houvesse reencarnação , na transfiguração , João Batista , como eles dizem ser Elias , por causa de uma interpretação errônea , teria que vir no lugar de Elias no monte tabor. Deus nos abençoe.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Alex Hoffmann 23-09-2017 19:36
Primeiro princípio para que o kardecismo espírita ou seja lá como for o espiritismo seja real e verdadeiro: todos os que reencarnam devem por medida da razão e necessária natureza saber o porque de não terem ascendido à "luz".
Primeiro princípio para que o espiritismo não é real: se somos reencarnações devemos naturalmente saber de todos os motivos específicos para tal. Sem estes motivos reais e acessíveis por meio de memórias e lembranças presentes em nós como a lembrança daquilo que de importante fizemos a meia hora anterior a este presente momento como ter tomado café, ter lavado o carro, ter iniciado a jornada diária de trabalho, ter iniciado uma caminhada, ao qual explicita o porque de reencarnarmos não existe nenhum suporte possível de sua existência.
Como ninguém lembra de nada da vida pregressa sem "ajuda", cai por terra tudo o que o espiritismo é e diz, não passa de uma gnose barata e supersticiosa.
Responder | Responder com citação | Citar
+5 # Geraldo 22-09-2017 22:56
Sob essa perspectiva Nosso Senhor Jesus Cristo teria sido o maior pecador e o que mais teve que pagar carmas pelo mal que fez, haja vista seu enorme sofrimento.

Mas a Doutrina Espírita assume mesmo (oficialmente, por escrito) que uma pessoa pobre e sofredora seria necessariamente mais infeliz, por isso? Que visão tacanha da felicidade, hein?

Quanto ao post, como sempre esclarecedor, eu só teria pequeno reparo a fazer: o mundo é de fato um vale de lágrimas e é realista não guardar ilusões sobre isso.

Mas é bom lembrar, também, que o acontecimento cristão é a experiência de maior plenitude e alegria possível já neste mundo, mesmo com o sofrimento.

E isso é promessa do Senhor: a quem me segue, darei o CÊNTUPLO ainda aqui neste mundo, com cruzes e depois, o céu. É aperitivo, por certo, mas é melhor que tudo o que o mundo oferece!
Responder | Responder com citação | Citar
+3 # GERALDO 26-09-2017 17:58
Duas coisas sempre me afastaram do espiritismo:

1) A capa de calma e serenidade com um ar meio condescendente , como se todos os outros fossem pobres ignorantes, não evoluídos. Tal calma postiça pode gerar cinismo, pois somos humanos e temos nossas fragilidades emocionais. Amadurecemos emocionalmente com a humildade que as reconhece e recomeça sempre e não por meio de uma cara de paisagem zen fingindo que isso e aquilo não me afeta.

2) E certa pretensão de que Deus e seus mistérios caibam numa lógica linear: "Ele é bom, não há, pois, inferno". Só que poder amá-Lo livremente é um mistério muito mais à altura do anseio do nosso coração (sendo terrível e concreta a possibilidade de não fazê-lo, obstinadamente).

A "lógica" que estreita as fronteiras do real em vez de se boquiabrir diante do seu mistério desconcertante, é tacanha. Não dobro meus joelhos diante de um "deus" que eu fiz caber na minha pequena lógica. É irracional não ver que a realidade é maior que eu.
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade